Não é novidade que o desperdício de alimentos no mundo inteiro é gritante. Estima-se que 1/3 de todos os alimentos acaba no lixo. Isso mesmo, mais de 30% do que produzimos não é consumido por vários motivos: problemas de logística, armazenamento, mau uso ou desperdício puro e simples. A ONU estima que 750 bilhões de dólares são desperdiçados anualmente com a comida que vai parar no lixo.

Grande parte das pessoas joga fora alimentos embalados assim que passam da data de validade escrita na embalagem, independente do aspecto físico e demais características do alimento. Mas o que muita gente não sabe é que a data de validade não diz quando um alimento está estragado e impróprio para consumo, mas sim quando alguma de suas características como cor, cheiro, textura ou valor nutricional pode sofrer alterações. Muitas vezes essas alterações são mínimas e insignificantes tão logo a data de validade vença, o que não justificaria o desperdício daquele alimento.

É por isso que o Ministério do Alimento e da Agricultura da Alemanha está trabalhando num projeto em que as embalagens dos produtos deixarão de ter a data de validade estipulada, passando a mudar de cor gradativamente conforme o alimento for se deteriorando. Essa é uma tentativa de evitar o enorme desperdício que acontece por lá (e em todo o lugar).

Não é só nesse caso que a tecnologia auxilia o uso consciente dos alimentos. Nos EUA foi lançado um aplicativo chamado Food for All, que serve para que os restaurantes vendam a comida que sobrou em bom estado com até 80% de desconto. O aplicativo está fazendo muito sucesso e torço para que logo seja expandido para todo o mundo, já que a estimativa é que os restaurantes joguem fora, todos os anos, 19 bilhões de quilos de comida em bom estado para consumo.

Print Friendly