O quinto dia de aula da primeira semana do curso de básico de Cuisine aqui na Le Cordon Bleu Paris (saiba mais sobre os outros dias clicando aqui e aqui) foi bastante intenso e cansativo. Tivemos todas as 4 aulas completas, então cheguei no curso às 8h da manhã e só cheguei em casa às 22h.

O dia começou com mais uma aula demonstrativa com um chef bem bacana e brincalhão. Foi ótimo para começar o dia de excelente humor e não ficarmos tão tensos. Aprendemos a fazer dois tipos de massa, a primeira foi a Pâte Brisée Salée, ou massa de quiche, quando ele apresentou a famosa receita de Quiche Lorraine (quiche típica da região de Lorraine na França, recheada com queijo gruyére, cbacon e creme de ovos), e uma quiche de cogumelos selvagens. A massa da quiche é realmente muito simples de fazer e não tem muito segredo.

Quiche aux Mushrooms Sauvages, curso básico intensivo de Cuisine da Le Cordon Bleu Paris Quiche Lorraine, curso básico intensivo de Cuisine da Le Cordon Bleu Paris

A primeira é a Quiche aux Champignons Sauvages e a segunda é a Quiche Lorraine, ambas apresentadas pelo chef na aula demonstrativa.

Além disso aprendemos a fazer a temida  Pâte Feuilletée,  nossa massa folhada. É aquela massa que parece derreter na boca e que ninguém gosta de fazer em casa porque dá um trabalhão, é complicada e todo mundo compra pronta hehe. Basicamente ela vai e volta várias vezes da geladeira, tem que ser refeita em camadas perfeitas de manteiga e massa no mínimo 6 vezes e é mega sensível (ou seja, pode dar errado muito facilmente).

Depois disso fomos para a aula prática onde fizemos a Quiche Lorraine e a tal   massa folhada. Minhas duas ficaram ótimas mas acabei não tirando foto (estávamos atrasados e saímos correndo para a aula seguinte). Trouxe a quiche lorraine para casa à noite e comi todinha hehehe

A aula demonstrativa seguinte foi para aprendermos a fazer outra massa básica chamada   Pâte brisée sucrée, que é parecida com a massa podre doce brasileira. Nessa aula o chef fez umas tortas de Pêra e de Maçã com recheio de creme de amêndoas (Tarte aux fruits de saison) simplesmente deliciosas!

Tarte aux Fruits de Saison, curso básico intensivo de Cuisine da Le Cordon Bleu Paris

A Tarte aux fruits de saison apresentada pelo chef na aula demonstrativa, estava sensacional!

Além disso, aprendemos a fazer um molho tradicional chamado Albufera (feito com redução de caldos de galinha e vitela + pimentão vermelho), a técnica para fazer ovos pochês perfeitos (adorei essa aula, meus ovos ficaram lindos, redondos e com a gema molinha como deve ser!) e finalmente fizemos um prato com a massa folhada da aula anterior, que são voul-au-vents (tipo uma cestinha de massa folhada) recheados com uma geléia salgada de alho poró, coberto com o ovo pochê e o molho Albufera (o prato se chama Feuilleté de poireaux et oeufs pochés, sauce Albufera). Fica lindo, super profissional e delicioso!

Feuilleté de poireaux et oeufs pochés, sauce Albufera, curso básico intensivo de Cuisine da Le Cordon Bleu Paris

Apresentação do meu Feuilleté de poireaux et oeufs pochés, sauce Albufera. Não ficou lindo?

No dia seguinte também começamos cedo pela manhã com mais uma aula teórica, dessa vez sobre legislação para abrir e manter restaurantes, regras de vigilância sanitária. Depois vimos uma lista enorme de tipos diferentes de instrumentos e panelas e potes com seus respectivos nomes técnicos em inglês e francês (que temos que decorar) e aprendemos técnicas para amolar nossas facas com diferentes pedras.

Foi bom que não tivemos a segunda aula, que é bem no horário do almoço. Como meus pais estavam voltando para o Brasil nesse dia, aproveitei para voltar para casa e fazer um  último passeio com eles, fomos no Invalides, que é o Museu de Guerra e onde tem a basílica com o túmulo do Napoleão Bonaparte e vários outros generais de guerra franceses importantes. O lugar é lindo de morrer e super recomendo a visita!

Voltando à tarde para o curso, a aula demonstrativa seguinte foi de cremes e sopas, onde aprendemos a fazer consommé (caldo) básico de carne, veloutés (um caldo encorpado com alguns ingredientes/técnicas específicos dependendo do sabor), Créme Dubarry (um creme de couve-flor bem tradicional) e o Bisque d’étrilles, que é um caldo de caranguejo que dá um trabalhão enorme para fazer (acabei não tirando foto desse). Basicamente temos que pegar os caranguejos vivos, lavá-los, colocar no azeite quente, fritar, quebrar na panela com um rolo de madeira até virar pasta (é tenso o negócio), junto com legumes e temperos específicos, usar conhaque, vinho, caldo de peixe, cozinhar, coar, coar de novo, engrossar, etc. Faz uma sujeirada que vocês nem imaginam, mas fica bom! Foi exatamente esse aí que fizemos na aula prática (o meu ficou grosso demais, de acordo com a chef da aula prática, deveria ter usado menos farinha de arroz na finalização).

Creme Dubarry,  curso básico intensivo de Cuisine da Le Cordon Bleu Paris

Linda a finalização do Creme Dubarry do Chef Iman Borgen na aula demonstrativa. Ele é super técnico e as aulas com ele são sempre excelentes.

E assim terminou essa primeira semana de curso! Ainda tem mais 3 semanas intensas de aula + a semana do exame final (medo!), vou tentar manter o blog atualizado regularmente para vocês saberem os detalhes do que está acontecendo nessa aventura parisiense!  Ah, e já ia esquecendo, uma foto minha com o uniforme na escola! 😉

Vivian Coco, Temperaria, Le Cordon Bleu Paris

lampinhaSe vocês quiserem acompanhar mais de perto e em tempo real tudo que está acontecendo podem me seguir no Instagram  (@temperaria, ou cliquem na lampinha aí ao lado). Lá eu posto diariamente várias fotos das aulas e também de outras coisas bacanas aqui de Paris!

Print Friendly, PDF & Email