Li uma matéria que saiu hoje no Folha Comida falando que é um mito a questão de que o frango que é vendido congelado nos supermercados possui hormônio. Confesso que já tinha visto no início do ano um bafafá de quando a Sadia resolveu publicar e colocar em suas embalagens que seu frango congelado (inteiro e em pedaços) não possui adição de hormônios. Lembro que até falei com meu marido no mercado “será mesmo? Esse peito de frango tão grande e carnudo.. o frango da fazenda dos meus tios não é tão carnudinho assim!”. E aí, será?

Desde pequena escuto que a carne de frango possui muito hormônio. Conheço várias pessoas que evitam ingerir esse tipo de carne muitas vezes por semana por acharem que essa quantidade de hormônio pode fazer mal ao nosso bem estar físico em geral. Tem gente que jura que pode até dar câncer! Eu sempre acreditei, levianamente é verdade, que o frango tem sim hormônio, porque a cada dia estão mais carnudos, com peitos e coxas (partes mais nobres e mais caras) maiores.

Depois de ler essa matéria resolvi pesquisar mais a fundo e achei inúmeras fontes que informam que sim, é verdade: os frangos que compramos nos mercados e possuem aprovação para venda no Brasil não possuem hormônio. Desde 2004 existe uma lei em vigor no Brasil que proíbe totalmente o uso de hormônio na criação de frango para comercialização no país. Muitos produtores inclusive informam que não usavam hormônios já desde antes disso, pois existem métodos naturais e muito mais vantajosos economicamente para aumentar a qualidade e produção do frango.

Mas então, como é que o frango fica assim tão “cheinho”?

A resposta vem da genética. Sabe aquela história de que, se seus pais e avós tiverem olhos azuis, você tem mais chance de ter olho azul? Ao longo dos anos foram feitas triagens das melhores “matizes” de frango, as que são mais resistentes à doença, as que comem mais (e engordam mais), as que possuem peitos maiores e mais carnudos. Essas matizes são escolhidas para a reprodução. A cada nova geração novas matizes são usadas e assim temos cada vez mais frangos resistentes, gordinhos e peitudos. Entendeu?

Além da triagem genética ainda existem fatores que corroboram com o crescimento do frango, que são o ambiente em que são criados e a nutrição. E quando digo nutrição não estou falando de hormônios na ração, mas sim quantidades equilibradas de vitaminas e minerais, que deixam o frango mais saudável e apto a crescer.

Se quiser ler mais sobre o assunto do mito dos hormônios no frango acesse essas matérias aqui, aqui, aqui e aqui.

Agora que você já sabe que a carne de frango é saudável e livre de hormônios, olha que legal a seleção de receitas bacanas para você fazer aí na sua casa!

Frango ao Curry e Limão Siciliano com Linguini ao Pesto

Frango com Creme de Café

Frango Piri Piri do Jamie Oliver

Sobrecoxas de Frango com Batata Baroa, Pimentão e Cebola Roxa

Wok de Frango Marinado no Limão Siciliano com Shitake

Print Friendly, PDF & Email