Ingredientes

  • 1 peça de +/- 1kg de filé mignon
  • 300g de cenoura em palitos
  • 150ml de vinho tinto seco
  • 1 colher (sopa) de raiz forte branca alemã
  • 1 colher (sopa) de mostarda dijon
  • 2 colher (sopa) de manteiga
  • 8 ramos de tomilho fresco
  • 150ml de água
  • 4 colheres (sopa) de azeite
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • Sal grosso e pimenta do reino preta à gosto

4 pessoas Pessoas servidas ~ 1 hora

raizfortealemãQuando estive em Blumenau no ano passado para a Oktoberfest aproveitei, como sempre faço, para comprar uns ingredientes diferentes que não costumo ver por aqui no Rio de Janeiro. Como a cidade é fruto da colonização alemã, encontramos excelentes produtos derivados de lá. Um que eu nunca tinha visto é a pasta de raiz forte branca, chamada de Meerrettich. Sempre que pensamos em raiz forte já nos vem à cabeça aquela pasta verde super picante da culinária japonesa, o wasabi. Entretanto, essa raiz forte alemã é bem menos picante mas muito mais saborosa, na minha opinião. A que eu comprei é essa aqui do lado. Custa barato (acho que foi menos de dez reais, se não me engano) e dá um toque muito especial nos molhos em geral. Depois descobri que existe à venda em vários lugares aqui no Rio de Janeiro, eu só não tinha prestado atenção!

Pois então, eu estava em casa essa semana com uma tremenda preguiça de fazer jantar mas também não queria comer fora (afinal, estava com preguiça). Cheguei em casa em torno das 22h depois do trabalho, que se estendeu além do esperado, e não tinha nada pronto na geladeira. Sorte do dia: havia tirado essa peça pequena de filé mignon no dia anterior do congelador e deixado na geladeira na esperança de ter inspiração e tempo de usá-lo durante a semana. E voilá, como diriam os franceses: vamos de rosbife que é super rápido e nunca decepciona.

Como não queria comer carboidrato tão tarde da noite – bem que eu aceitaria uma bela massa para acompanhar essa carninha, mas a dieta não anda permitindo essas escapadas ultimamente – escolhi fazer umas cenourinhas super simples glaceadas na manteiga e açúcar, que contrastaram maravilhosamente bem com o sabor ativo do molho do rosbife.

Isso tudo, acreditem se quiserem, levou somente uns 20 minutos do meu tempo efetivo mais uns 30 minutos esperando a carne ficar pronta no forno. Não é uma delícia? Adoro pratos que exigem pouco trabalho e ainda nos dão uma pausa para apreciar uma taça de vinho enquanto sentimos os aromas inebriantes que estão saindo do forno… tudo de bom!! 

rosbiferaizfortecenouras_2

MODO DE FAZER

– A carne deve estar completamente descongelada, preferencialmente em temperatura próxima à ambiente (deixe uns 15 minutos fora da geladeira, pelo menos).

A dica número 1 é nunca furar a carne antes de ela ficar pronta. Sei que muita gente tem o hábito de fazer vários furinhos na carne para “impregnar” com o tempero, mas isso vai fazer com que você fique com uma carne mais seca e dura. Vou explicar o motivo: quando furamos a carne antes dela ser selada criamos caminhos pelos quais o líquido natural da carne, que deixa tudo macio e suculento, sai quando ela é aquecida e as fibras se retesam. E com isso não tem molho nem tempero que dê jeito: ela vai ficar ressecada. Então utilize um daqueles pegadores grandões para virar sua carne, nunca o garfo!

– Dito isso, vamos à dica número 2: a carne precisa ser selada em fogo bastante alto para depois terminar a cocção no forno. O que é isso? Primeiro vamos dourar ela toda por fora, formando aquela capinha bonita tostadinha das carnes que vemos sendo fatiadas e servidas nos melhores restaurantes. Isso também vai ajudar a manter o “suco” da carne dentro dela enquanto termina o cozimento no forno. Esse procedimento fica perfeito quando feito numa frigideira daquelas de ferro bem grossas, que mantém a temperatura constante e alta. Eu, infelizmente, ainda não tenho uma dessas, então faço direto na minha travessa inox que vai depois ao forno (vamos combinar que economizar uma louça é um excelente argumento!).

mixsaltherbs_oliviers&co– Comece pré-aquecendo o forno a 180°C. Depois coloque a travessa (ou a frigideira) com o azeite no fogão (sob a boca do fogão acesa mesmo) e deixe aquecer bem. Enquanto isso, vá pegando a carne e temperando com o sal grosso e a pimenta do reino preta moída na hora. Nada além disso é necessário. Você também pode usar um Mix de Sal & Ervas para carnes, tipo esse da Oliviers & CO aqui do lado, mas não é nada obrigatório ou que vá trazer qualquer prejuízo ao prato.

– Leve a carne temperada para a travessa com o azeite já bem aquecida. Vai fazer aquele chiado danado, mas a ideia é essa mesmo, selar a carne por inteiro no fogo quente. Vá virando a carne para que ela faça esse processo de selar em todos os lados (não esqueça das pontas!).

– Quando achar que a carne já está bem selada por inteiro, leve ao forno pré-aquecido e deixe lá por algo em torno de 20-30 minutos, dependendo do ponto que você gosta. Eu gosto ao ponto, com o miolo bem rosado, então para mim ficou perfeito.

– Enquanto você espera a carne ficar pronta coloque as cenouras para cozinhar com água numa panela. Quando elas estiverem cozidas, mas não muito moles, pode escorrer. Coloque na própria panela 1 colher de sopa de manteiga e o açúcar, junte as cenouras e misture tudo. Deixe fritando/glaceando, mexendo de vez em quando, até que elas tenham absorvido o açúcar e ficado levemente douradas. Reserve.

É muito difícil acertar o ponto da carne de olho, e eu, particularmente, nem sei fazer isso direito. Depois que comprei um termômetro de carne minha vida ficou muito mais fácil (e minhas carnes mais gostosas). Já falei do uso do termômetro de carne naquela receita da Picanha ao Forno e do Filé Mignon Suíno ao Molho de Laranja. Mas basicamente o que importa é: quando achar que a carne está próxima de ficar no ponto certo, pegue seu termômetro e espete (na parte superior da carne, para que depois ela não fique vazando..) a carne bem no meio e veja quanto está marcando. A faixa de temperatura da carne bovina ao ponto é de 58 a 60ºC, mas o ideal é retirar a carne do forno uns 4 graus abaixo da faixa, pois ela ainda vai continuar cozinhando por um tempo fora do forno só com o calor acumulado nela. Se você quer saber quais são as temperaturas ideias das carnes bovinas e seus respectivos pontos, segue tabelinha abaixo:

até 52ºC – mal-passada

52 à 56ºC – ao ponto para menos

58 à 60ºC – ao ponto

60 à 62ºC – ao ponto para mais

acima 62ºC – bem passada

– Retire a carne do forno e transfira a carne para uma travessa ou tábua de corte e deixe ela quieta por, pelo menos, 10 minutos (o ideal são até 15 minutos). Dica número 3: nunca corte a carne assim que ela sai do forno! Esse tempo de repouso é necessário para que as fibras da carne voltem ao estado “normal” e absorvam todo aquele suco dentro dela (por isso é importante não ficar fazendo vários furos na peça), fazendo com que ela fique muito suculenta e saborosa ao ser cortada.

– Enquanto você espera o tempo de descanso da carne, prepare o molho. Junte o restante dos ingredientes (a outra colher de manteiga, raiz forte, mostarda, tomilho, vinho e água) na própria travessa em que a carne foi feita, onde estará o líquido que saiu dela com o tempero do sal e do azeite. Misture tudo, deixe ferver e transfira tudo para uma panelinha. Deixe ferver até reduzir pela metade. Coe tudo, volte com o líquido coado para a panela e deixe reduzir ainda mais, até ficar um molho aveludado.

– Corte o rosbife em fatias finas, arrume com as cenouras glaceadas e coloque o molho num pote para ser servido à parte. Bom apetite!

DIFICULDADE: média

PREÇO MÉDIO: R$ 33,00 – R$ 40,00

Print Friendly, PDF & Email