Há algumas poucas exceções para fugir à regra, mas a grande maioria dos brasileiros confirma: o feijão faz parte do seu dia-a-dia e está entre os pratos preferidos dos brasileiros. Seja no feijão preto dos cariocas ou no feijão carioquinha, irônicamente consumido em mais de 70% do país, mas não no Rio de Janeiro, o feijão é o carro-mestre da alimentação brasileira.

Já que o feijão é tão popular e tão presente nas panelas e mesas desse nosso Brasil, resolvi fazer uma série especial só sobre ele. Para quem ainda não viu, postei aqui há alguns meses dicas de como fazer o Feijão Preto perfeito. Porque para mim feijão bom é aquele temperado na medida certa e beeeem cremoso. A famosa frase “coloca mais água no feijão” não combina muito com a minha cozinha, porque odeio feijão aguado! Mas enfim, voltando à questão, essa postagem sobre o Feijão Preto é disparadamente a mais procurada e acessada aqui do blog. Então se é a preferência nacional, vamos falar de feijão!!

Hoje vou falar de dois tipos de feijão bastante consumidos e conhecidos dos brasileiros, os mesmos que mencionei no início do texto: o feijão carioquinha e o feijão preto. Vamos lá?

3feijaocarioca

FEIJÃO CARIOCA OU CARIOQUINHA

Disparadamente é a variedade de feijão mais consumida no país, dominando os pratos de mais de 70% da população nacional. Apesar do nome sugestivo, é pouquíssimo consumido pelos cariocas, que em grande maioria preferen o feijão preto. E é daí que muita gente acaba se perguntando “por que o feijão carioca tem esse nome?”. Dei uma pesquisada aqui e, apesar de um certo folclore existir dizendo que esse nome se deve aos rajados existentes no grão dessa variedade de feijão, que lembrariam o calçadão da Praia de Copacabana (que viagem!!), a verdade é outra. Esse feijão na verdade é bastante recente, surgiu na década de 70 (isso mesmo!) numa fazenda em São Paulo. Um dia um produtor encontrou uma planta diferente no meio da plantação, provavelmente uma variação genética aleatória. Essa planta conseguia produzir o dobro das outras. Vendo isso, ele levou a semente da planta para o Instituto Agronômico de Campinas, que fez vários testes. Lá foi provado que esse grão – o feijão carioquinha – tinha uma produtividade muito maior que os outros tipos.

OK, e por que afinal esse nome?

Pois é, daí o produtor que achou o tal feijão percebeu que ele tinha a mesma cor bege com listras de uma raça de porco chamada Carioca. Através dessa comparação ele resolveu nomear o novo feijão assim. Fiz do mistério!!

feijaopreto

FEIJÃO PRETO

O feijão preto representa atualmente 20% da produção brasileira de feijão, sendo amplamente consumido no Rio de Janeiro e pelos sulistas e mineiros no famoso Feijão Tropeiro, quando o grão é misturado cozido e sem caldo com linguiça, torresmo e outros ingredientes (os tropeiros faziam assim para evitar o peso do caldo).Se você não é carioca ou sulista ou mineiro conhece o feijão preto como integrante principal da aclamada Feijoada, prato do século XIX, inventado pelos escravos com os pedaços menos nobres de carne. O feijão preto também é muito utilizado na culinária mexicana, acompanhando pratos como chili, tacos e burritos (adoro!). 

E se você está aí se perguntando qual é o melhor tipo de feijão em questões nutricionais, sinto dizer: as diferenças são mínimas. Dá uma olhada na tabela abaixo:

Composição nutricional do feijão (por 100g):

Feijão – preto

Feijão-carioca

Calorias

77 cal

76 cal

Proteínas

4,5 g

4,8 g

Lipídeos

0,5 g

0,5 g

Colesterol

0,0 mg

0,0 mg

Carboidrato

14 g

13,6 g

Fibra

8,4 g

8,5 g

Cálcio

29 mg

27 mg

Ferro

1,5 mg

1,3 mg

Potássio

256 mg

255 mg

Fonte: TACO- Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos

Então a sua escolha entre o feijão carioquinha e o feijão preto pode ser definida por dois fatores principais: facilidade de encontrar e gosto. Sim, porque ambos fazem muito bem à saúde quando consumidos moderadamente e são uma delícia! Viva o feijão!!

Print Friendly