Pizza sem gluten e lowcarb com massa de couve-flor para uma sexta-feira mais feliz

pizzacouveflor_1

Sexta-feira é dia de pizza! Mas como eu já contei para vocês, desde o início do ano descobri uma intolerância ao trigo (mas não ao gluten, olha só que coisa!) e estou já há vários meses restringindo ao máximo o consumo do trigo na minha alimentação. Já estou reintroduzindo aos poucos, em refeições especiais ou quando tem alguma coisa que eu queira muuuito comer, mas mesmo assim é muito pouco. Imaginem então há quanto tempo não comia uma pizza e como estava morrendo de vontade de fazer uma!

Sei que existem várias receitas sem farinha de trigo pela internet, mas fiquei bastante interessada quando vi várias pessoas fazendo suas versões dessa pizza feita com massa de couve-flor. Eu sei, parece que não vai ficar muito bom, mas garanto que o sabor da couve-flor é suave, sobressaindo muito mais o do queijo e do molho que você usar. Vi várias receitas bem diferentes na internet e resolvi experimentar a da Adriana do Casa, Coisas e Sabores, porque as outras que vi tinham uma quantidade de queijo ainda maior, o que eu não curti muito.

Já aviso que a receita é sem gluten e lowcarb (baixo carboidrato), mas tem bastante gordura por causa da quantidade de queijo. O queijo é essencial justamente para dar a liga na massa. Pretendo fazer a receita de novo diminuindo mais um pouco a quantidade de queijo na massa (ao invés da proporção 1 para 2 vou tentar 1 para 3) e trocando por muçarela light, para tentar diminuir a quantidade de gordura. Também quero fazer com muçarela de búfala na cobertura, para dar um toque diferente e deixar o gosto da cobertura bem diferente do da massa. Para quem gosta de queijo essa pizza é perfeita!  Continue lendo…

Filé mignon suíno com batata-baroa (mandioquinha) no molho de mostarda e chipotle

filesuinobaroa_1

Muita gente tem preconceito quando se fala em comer carne de porco, mas sabia que alguns cortes suínos estão entre as carnes mais saudáveis que existem para o consumo humano? A grande dica é cozinhar bem a carne para que ela não tenha partes cruas ao ser consumida, que é onde mora o risco real de consumo da carne suína (e de quase todas as carnes, salvo a gente saiba realmente qual a sua procedência e os cuidados que foram tomados na sua manutenção até o momento de ser servida).

Filé mignon suíno para mim é uma das carnes mais gostosas, fáceis e versáteis. Sempre tem no meu congelador! Fica muito bem com vários tipos de acompanhamento e é sempre macia e saborosa. Sempre aviso para todo mundo que essa é uma carne rosada por natureza e seu tom rosado não significa que está crua, então não tentem fritar, assar ou cozinhar o filé mignon suíno até ele não ficar mais rosado, isso vai significar uma carne dura, ressecada e sem gosto! Aquele tom dourado de carne selada/assada é o tom ideal.

Esse molho ficou simplesmente delicioso, com sabor bem marcante. Usei a pimenta chipotle em conserva que é uma das favoritas lá em casa, já que confere um sabor defumado ao prato que fica irresistível. Se você não gosta de defumado pode alterar pela pimenta dedo de moça e, se você não é fã de sabores apimentados, pode suprimir a pimenta da receita que também vai ficar muito bom. Agora mãos à obra! ;-) Continue lendo…

Risoto de shitake e gorgonzola para a #segundasemcarne e o maravilhoso livro de Michael Pollan

risotoshitakegorgonzola_1

Aproveitando essa segunda-feira pra postar uma receita vegetariana para a #segundasemcarne, lembrei de comentar do livro que estou lendo nesses dias chamado Em Defesa da Comida (In Defense of Food é o nome original em inglês, preferi ler essa versão) de Michael Pollan. Uma preciosidade! Nesses dias em que livros, revistas, guias, blogs e instagrams de “alimentação saudável” brotam aos montes ensinando tudo, menos alimentação saudável – coma menos gordura, corte carboidratos, coma de 3 e 3 horas religiosamente, não coma gluten, não tome leite, coma carne, não coma carne, dentre tantas outras “regras”-, um livro como esse de Michael Pollan em que não existe dieta, não existe receita ou restrição que não seja pura e simplesmente “coma comida de verdade” é de encher os olhos e acariciar a alma.

Sei que parece muito óbvio falar que devemos comer comida, mas o grande conceito do livro é que na verdade quase não se come mais comida e sim “produtos alimentícios”, altamente refinados, industrializados, embalados e que parecem comida, mas na verdade não são. As explicações, pesquisas científicas e porquês são todos explicados no livro e não vou replicar aqui – recomendo fortemente que leiam o livro, mas tem uma resenha bacana sobre ele lá no blog do Prato Fundo -, mas questões básicas que adquiri nesse livro e pretendo levar para a vida são as seguintes:

Investir em alimentos naturais e não industrializados.

Comida não é um bando de nutrientes para o corpo, é um ato que envolve muito mais coisas como sociabilidade, cultura e prazer.

Comer carne com moderação e comer muitas plantas.

A origem do nosso alimento é tão importante quanto o alimento em si. Investir em produtores locais e produtos sazonais.

Investir em comida fresca, natural e de qualidade vale muito mais a pena do que investir em remédios e tratamentos para os danos causados pela má alimentação ao longo dos anos. Continue lendo…

Hoje é o Dia Internacional da Cerveja! Você sabe como ele surgiu?

sociedade_da_cerveja_-_reproducao

Hoje é o Dia Internacional da Cerveja! Comemorado atualmente em mais de 50 países, acontece sempre na 1a. sexta-feira do mês de agosto e é celebrado em vários bares, restaurantes, pubs, shows por todo o mundo. Até porque comemorar dia da cerveja não é uma tarefa árdua, não é mesmo?

O Dia Internacional da Cerveja tem até um propósito oficial declarado, que é:

1) Juntar-se com amigos e aproveitar a delícia que é uma cerveja.

2) Celebrar os homens e mulheres dedicados que fabricam e servem nossa cerveja.

3) Levar o sentimento de união a todo o mundo sob a bandeira cervejeira, celebrando as cervejas de todas as nações e culturas neste dia memorável.

Mas você sabe como surgiu o Dia Internacional da Cerveja?
Continue lendo…

Curry de peito de frango com milho verde no leite de coco – e o significado do prato “Curry”

frangocurry_1

Muita gente reclama que peito de frango é uma carne muito sem gosto e que não pega tempero fácil. Realmente para fazer um filé de peito de frango grelhado eu indico deixar numa marinada de temperos por pelo menos algumas horas, ideal que seja pelo menos de um dia pro outro. Mas nem sempre a gente consegue se planejar com tanta antecedência, né? Eu pelo menos faço muito comida de minuto, decidida em cima da hora com o que tem na geladeira e na despensa. Esse curry de frango no leite de coco foi um esses pratos surgidos da inspiração que brota na minha mente no momento em que a luz da geladeira acende hehehe

Para quem não sabe, o prato “curry” não necessariamente leva o tempero curry em si. Curry é na verdade um nome bem genérico para qualquer prato que tenha peixe, frango ou vegetais cozidos num molho apimentado e com temperos indianos, que podem ser o cominho, cardamomo, gengibre, curry ou pimenta. Nesse caso usei a pimenta, que lá em casa sempre tem em fartura de quantidade e tipo! Todo mundo, do marido às crianças é fã de pimenta lá em casa, então posso usar e abusar desse condimento! Mas se você não gosta não tem problema, pode suprimir da receita que vai ficar muito bom também. Continue lendo…

Waffles caseiros sem gluten e sem lactose

waffle_glutenfree1

Quando postei a foto desse waffle sem gluten e sem lactose no instagram do Temperaria (se você ainda não segue corre lá: @temperaria) muita gente entrou em contato pedindo a receita. Waffle é bom demais, sem gluten e sem lactose e só com gordura do bem, quer mais alguma coisa?

No dia seguinte tive que fazer a receita de novo para meus vizinhos queridos que adoraram a ideia e pediram para fazer um café da manhã coletivo de domingo (adoro!). Foi sucesso total! E é tão fácil de fazer que realmente não tem motivo para não fazer para a família, os vizinhos, os amigos, cachorro, periquito e papagaio! :P Continue lendo…

Creme de brócolis com batata doce e gorgonzola, uma homenagem ao dia de todos os dias!

cremebrocolis_2

É impressionante como segunda-feira é o dia de basicamente tudo. Dia oficial de começar dieta, dia de começar novos projetos, de entrar na academia. Dia da segunda-feira sem carne, dia da preguiça. Em homenagem a todos esses dias resolvi compartilhar aqui uma receita que agrada a todos os gostos: para quem está de dieta, não come carne e está com preguiça. Que beleza!

Esse creme de brócolis com batata doce e gorgonzola fica pronto num piscar de olhos, dá pouquíssimo trabalho e fica simplesmente uma delícia! Eu comi puro em formato de sopinha mesmo, mas acho que também cai bem acompanhando um peixe ou frango grelhado. Já entrou para a lista das minhas sopas-creme preferidas e tenho certeza que vai entrar para a sua também! Continue lendo…